option
My Daypo

Operações sob Condições de Visibilidade Reduzida

COMMENTS STADISTICS RECORDS
TAKE THE TEST
Title of test:
Operações sob Condições de Visibilidade Reduzida

Description:
questionário 6

Author:
AVATAR
julianogomessantos@hotmai
(Other tests from this author)


Creation Date:
08/10/2021

Category:
Others

Number of questions: 106
Share the Test:
Facebook
Twitter
Whatsapp
Share the Test:
Facebook
Twitter
Whatsapp
Last comments
No comments about this test.
Content:
01 - A organização, como um todo, será denominada “Missão” (Mission), cujo nome fará menção à ONU, podendo explicitar o tipo ou forma de instrumento a ser empregado para o gerenciamento da crise e o nome do país ou região onde se realizará. O nome da missão poderá estar em uma das seguintes línguas, dentre as dez mais faladas no mundo, EXCETO: alemão mandarim; russo espanhol, francês árabe inglês.
02 – A opção incorreta é: Seu componente civil era essencialmente voltado para o apoio administrativo às ações civís. As OpPaz no período da Guerra-Fria – ditas de primeira geração - eram de estrutura predominantemente militar Desta forma, as OpPaz passaram a ser, predominantemente, de natureza política, exigindo uma estrutura multifuncional. Com o término daquele período, constatou-se que o emprego de forças militares não era suficiente para solucionar as inúmeras crises que passaram a eclodir, exigindo a atuação da ONU também nos campos político, econômico. Com o término daquele período, constatou-se que o emprego de forças militares não era suficiente para solucionar as inúmeras crises que passaram a eclodir, exigindo a atuação da ONU também nos campos, jurídico e social.
03 - Atualmente, dependendo da situação na área em crise, uma OpPaz será estruturada por todos ou parte dos seguintes componentes, EXCETO: Componente de Assuntos Humanitários (Humanitarian Affairs Component); Componente de Direitos Humanos (Human Rights Component); Componente Militar Aéreo (Air Military Component); ComponenteMilitar Marítimo (Maritime Military Component); Grupo de Observadores Militares (Military Observers Group); Componente de Polícia Civil (Civilian Police Component); Componente Eleitoral (Electoral Component); Componente Administrativo Civil (Civilian Administrative Component) Componente Eleitoral (Electoral Component); Componente Administrativo Civil (Civilian Administrative Component) .
4 – O Componente Militar é: O Componente Militar é integrado por forças militares de nações contribuintes, denominados contingentes. Poderá contribuir para Manutenção de Ambiente Seguro, Garantia os Direitos Humanos e Conquista de Objetivos Políticos A título de ilustração, esses componentes são empregados em operações e ações típicas dos poderes aéreo e naval, respectivamente. Contudo, a decisão para o emprego de cada um deles é objeto de cuidadosa avaliação, pois envolve uma série de fatores, entre os quais, o controle do poder de destruição, a interdição de espaços aéreos e áreas marítimas e a liberdade para execução de inspeções e apresamento. Em determinadas OpPaz, tem-se observado a presença dos Componentes Aéreo e Marítimo que, apesar de sua natureza militar, não integram o Componente Militar, deixando para este um caráter estritamente de força terrestre. Esse componente organizar-se-á em setores ou áreas de responsabilidade e terá a seu encargo o desenvolvimento de compromissos relativos à interposição, separação e retirada de forças em conflito, à verificação de acordos, ao apoio à desmobilização das forças, à destruição de armas, o desarmamento, a desmobilização de força irregulares – guerrilheiros, milícias e bandos – e sua reintegração à sociedade, à criação de novas forças armadas e à ajuda humanitária.
05 - O Grupo de Observadores Militares é constituído por oficiais de países contribuintes que cumprem suas tarefas desarmados, distribuídos em Equipes de Militares Observadores (Military Observers Teams). Suas atividades básicas compreendem,EXCETO: prover auxílio nas operações de desminagem e de ajuda em missões de paz monitorar o retorno de refugiados para o interior da área da missão; investigar as denúncias de violações nos aspectos anteriormente citados; patrulhar, dentro de suas possibilidades, a área da missão; monitorar e verificar a trégua, o acordo de cessar-fogo ou de paz elaborar e emitir relatórios sobre os aspectos de sua responsabilidade. conduzir inspeções periódicas das partes em conflito;.
06 - É a parcela do Poder Militar de um país que participa de uma OpPaz. Um país, em sua opção, poderá prestar sua contribuição militar com: - pessoal de emprego individual para funções de comando, estado-maior, observadores militares e outros; - unidades de combate, apoio ao combate e de apoio de serviços ao combate; e - especialistas para atividades como, por exemplo, treinamento, supervisão e remoção de minas e apoio na área de saúde. Contingente Nacional Componente Nacional Militar Componente Nacional Contingente Militar Nacional Contingente Militar.
07 - De acordo com o Manual de Operações de Paz de Fuzileiros Navais, o Comandante da Força (Force Commander – FC) é o comandante do Componente Militar (Força de Paz). É um oficialgeneral de um país contribuinte designado pelo Secretário-Geral para essa função. É o responsável por transformar ou ajustar as diretrizes políticas recebidas do SRSG em ordens militares contidas em seu plano de operações. A ele estarão subordinadas as forças militares disponibilizadas pelos países contribuintes dentro de um dos três níveis de autoridade. Quanto aos níveis de autoridades, correlacione: 1- Comando Operacional 2- Controle Operacional 3- Controle Tático ( ) Sendo o mais restrito dos graus de controle operacional, nele o FC limitar-se-á a orientar a execução das tarefas de caráter eminentemente tático de seus elementos subordinados, em suas áreas de responsabilidade ( )É o mais elevado grau de autoridade operacional outorgado a um Comandante de Força fora de sua cadeia de comando nacional, pelo qual pode determinar aos seus subordinados o cumprimento de missões, desdobrar unidades, rearticular forças em diferentes dispositivos e reter ou delegar o controle operacional e tático quando necessário. ( ) É o grau de autoridade pelo qual o FC poderá determinar o cumprimento de missões específicas constituídas por tarefas limitadas por propósitos especiais, tempo ou localização. Neste tipo de controle, o FC não poderá alterar as missões básicas das forças participantes ou desdobrá-las fora das áreas de responsabilidade previamente acordadas com os países contribuintes sem o seu consentimento 3-1-2 2-1-3 1-3-2 3-2-1 1-2-3.
08 – A ONU estabelece três níveis de direção, São eles: a Direção Política Central, que corresponde ao Conselho de Segurança; a Direção Executiva e Controle, a cargo do Secretário-Geral (sendo o DPKO o instrumento operacional do Secretário-Geral para a gestão cotidiana das operações de paz, atuando como principal meio de comunicação entre a sede da ONU e as operações no campo); e a Direção de Campo, que recai no Chefe da Missão Representante Especial do Secretário-Geral; Comandante de Contingente Nacional; Comandante da Força Emprego Preventivo; Implementação de Acordos Amplos; Proteção de Operações Humanitárias. Chefe dos Observadores Militares; e) Chefe Logístico da missão; Controle Operacional; Comando Operacional Promoção da Paz (Peacemaking); Manutenção da Paz (Peacekeeping); Imposição da Paz (Peace-enforcement).
09 - Embora todos os componentes de uma OpPaz exerçam suas atividades em estreita coordenação de chefia, das autoridades mais diretamente ligadas aos aspectos militares de uma OpPaz tem-se o Representante Especial do Secretário-Geral que é caracterizado por: A ele são subordinados todos os comandantes, diretores ou chefes dos componentes que integrarem determinada Missão Em geral, sua responsabilidade engloba todas as funções administrativas e serviços gerais técnicos que as atividades da operação requeiram Uma de suas atividades mais importantes é a supervisão e o trato, no que lhe for determinado, das questões disciplinares de seu contingente A ele estarão subordinadas as forças militares disponibilizadas pelos países contribuintes dentro de um dos três níveis de autoridade É ainda o responsável por emitir relatórios acerca da situação observada pelos integrantes do Grupo.
10 - Embora todos os componentes de uma OpPaz exerçam suas atividades em estreita coordenação de chefia, das autoridades mais diretamente ligadas aos aspectos militares de uma OpPaz tem-se Comandante da Força que é: A ele estarão subordinadas as forças militares disponibilizadas pelos países contribuintes dentro de um dos três níveis de autoridade Uma de suas atividades mais importantes é a supervisão e o trato, no que lhe for determinado, das questões disciplinares de seu contingente A ele são subordinados todos os comandantes, diretores ou chefes dos componentes que integrarem determinada Missão Em geral, sua responsabilidade engloba todas as funções administrativas e serviços gerais técnicos que as atividades da operação requeiram É ainda o responsável por emitir relatórios acerca da situação observada pelos integrantes do Grupo.
11 Embora todos os componentes de uma OpPaz exerçam suas atividades em estreita coordenação de chefia, das autoridades mais diretamente ligadas aos aspectos militares de uma OpPaz tem-se Comandante de Contingente Nacional que é Uma de suas atividades mais importantes é a supervisão e o trato, no que lhe for determinado, das questões disciplinares de seu contingente Em geral, sua responsabilidade engloba todas as funções administrativas e serviços gerais técnicos que as atividades da operação requeiram. A ele são subordinados todos os comandantes, diretores ou chefes dos componentes que integrarem determinada Missão A ele estarão subordinadas as forças militares disponibilizadas pelos países contribuintes dentro de um dos três níveis de autoridade É ainda o responsável por emitir relatórios acerca da situação observada pelos integrantes do Grupo.
12 - Embora todos os componentes de uma OpPaz exerçam suas atividades em estreita coordenação de chefia, das autoridades mais diretamente ligadas aos aspectos militares de uma OpPaz tem-se Comandante de Contingente Nacional que é: É ainda o responsável por emitir relatórios acerca da situação observada pelos integrantes do Grupo A ele estarão subordinadas as forças militares disponibilizadas pelos países contribuintes dentro de um dos três níveis de autoridade Uma de suas atividades mais importantes é a supervisão e o trato, no que lhe for determinado, das questões disciplinares de seu contingente A ele são subordinados todos os comandantes, diretores ou chefes dos componentes que integrarem determinada Missão Em geral, sua responsabilidade engloba todas as funções administrativas e serviços gerais técnicos que as atividades da operação requeiram .
13 Embora todos os componentes de uma OpPaz exerçam suas atividades em estreita coordenação de chefia, das autoridades mais diretamente ligadas aos aspectos militares de uma OpPaz tem-se Comandante de Contingente Nacional que é: Em geral, sua responsabilidade engloba todas as funções administrativas e serviços gerais técnicos que as atividades da operação requeiram A ele são subordinados todos os comandantes, diretores ou chefes dos componentes que integrarem determinada Missão Uma de suas atividades mais importantes é a supervisão e o trato, no que lhe for determinado, das questões disciplinares de seu contingente A ele estarão subordinadas as forças militares disponibilizadas pelos países contribuintes dentro de um dos três níveis de autoridade É ainda o responsável por emitir relatórios acerca da situação observada pelos integrantes do Grupo.
14 - Comandante de Contingente Nacional É a função exercida normalmente pelo oficial mais antigo dos elementos nacionais desdobrados em uma área da missão, aí englobados todos os meios mencionados na alínea c do inciso 2.2.2. Não se trata exatamente de uma função de comando, mas de um canal de comunicação entre as autoridades multinacionais da operação – FC, Chefe dos Observadores Militares, comandantes de outros contingentes e outros – e os componentes do respectivo contingente nacional. Uma de suas atividades mais importantes é a supervisão e o trato, no que lhe for determinado, das questões disciplinares de seu contingente, e outras atribuições tais como, EXCETO: supervisionar as instruções na preparação e durante a missão. manter seu país informado da situação existente. alterar o dispositivo das suas peças de manobra dentro de sua área de responsabilidade. cumprir as determinações do FC (Ordem Fragmentária – Task Order). estabelecer ligação com outros contingentes.
15 - Dentre outros instrumentos relacionados ao processo de paz, destacam-se por sua relação ao propósito desta publicação: Emprego Preventivo; - Implementação de Acordos Amplos; e - Proteção de Operações Humanitárias. Emprego Preventivo e acompanhado; - Implementação de Acordos Amplos; e – Segurança de Operações Humanitárias. Emprego Preventivo; - Implementação de Acordos Amplos; e – Segurança de Operações Humanitárias. Emprego Preventivo; - Implementação de Acordos Amplos entre as partes em litígio; e - Proteção de Operações Humanitárias. Emprego Preventivo; - Implementação de Acordos Amplos; e - Proteção de Ajuda Humanitárias.
16 A alternativa que se refere ao Emprego Preventivo é: No Emprego Preventivo, a parte militar da operação é desencadeada com a aplicação de medidas preventivas para evitar confrontações, tais como o estabelecimento de zonas e faixas desmilitarizadas e a interposição de forças a ONU pode auxiliar as partes em conflito não apenas quanto ao cessar-fogo, mas também quanto a outros acertos de caráter militar e a uma grande variedade de assuntos civis Cabe ressaltar a diferença entre a diplomacia preventiva propriamente dita (item 2.3.1) e o emprego preventivo de tropas. A diplomacia preventiva seria uma ação consentida, sem uso da força, enquanto o desdobramento preventivo de tropas seria uma ação não consentida, com uso da força. Assim, torna-se necessário que as ações de assistência humanitária sejam conduzidas sob a proteção de força militares, o que pode acontecer por meio da segurança aos comboios daquelas agências, às suas sedes, aos seus depósitos e às suas ações de distribuição da assistência É importante ressaltar que existem ações de caráter predominantemente civil e outras de caráter essencialmente militar.
17 - A alternativa que se refere à Implementação de Acordos Amplos é: a ONU pode auxiliar as partes em conflito não apenas quanto ao cessar-fogo, mas também quanto a outros acertos de caráter militar e a uma grande variedade de assuntos civis É importante ressaltar que existem atividades de caráter predominantemente civil e outras de caráter essencialmente militar Assim, torna-se necessário que as ações de assistência humanitária sejam conduzidas sob a proteção de força militares, o que pode acontecer por meio da segurança aos comboios daquelas agências, às suas sedes, aos seus depósitos e às suas ações de distribuição da assistência Cabe ressaltar a diferença entre a diplomacia preventiva propriamente dita (item 2.3.1) e o emprego preventivo de tropas. A diplomacia preventiva seria uma ação consentida, sem uso da força, enquanto o desdobramento preventivo de tropas seria uma ação não consentida, com uso da força. No Emprego Preventivo, a parte militar da operação é desencadeada com a aplicação de medidas preventivas para evitar confrontações, tais como o estabelecimento de zonas e faixas desmilitarizadas e a interposição de forças.
18 - A sendo uma OpPaz, em qualquer de seus estágios, uma operação predominantemente de natureza política, as ações de caráter civil não podem prescindir da presença e do apoio militar, bem como as ações de caráter militar não podem prescindir da presença, do apoio e da supervisão dos componentes civis da estrutura de uma missão de paz. Os aspectos essencialmente militares são os seguintes, EXCETO destruição de armamento e munições apreendidos; elaboração e implementação de planos para a localização, demarcação, interdição e limpeza de áreas minadas; proteção ao retorno de refugiados e pessoas deslocadas aos seus locais de origem desarmamento, desmobilização de forças irregulares – guerrilheiros, milícias e bandos - e sua reintegração à sociedade, atividade esta conhecida na comunidade da ONU como Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (Disarmament, Demobilization and Reintegration - DDR); supervisão do cessar-fogo;.
19 - A alternativa que se refere às Proteção de Operações Humanitárias é: É importante ressaltar que existem atividades de caráter predominantemente civil e outras de caráter essencialmente militar Assim, torna-se necessário que as ações de assistência humanitária sejam conduzidas sob a proteção de força militares, o que pode acontecer por meio da segurança aos comboios daquelas agências, às suas sedes, aos seus depósitos e às suas ações de distribuição da assistência Cabe ressaltar a diferença entre a diplomacia preventiva propriamente dita (item 2.3.1) e o emprego preventivo de tropas. A diplomacia preventiva seria uma ação consentida, sem uso da força, enquanto o desdobramento preventivo de tropas seria uma ação não consentida, com uso da força. a ONU pode auxiliar as partes em conflito não apenas quanto ao cessar-fogo, mas também quanto a outros acertos de caráter militar e a uma grande variedade de assuntos civis No Emprego Preventivo, a parte militar da operação é desencadeada com a aplicação de medidas preventivas para evitar confrontações, tais como o estabelecimento de zonas e faixas desmilitarizadas e a interposição de forças.
20 - Um outro tipo de instrumento vem ganhando espaço em cenários onde existam flagrantes violações dos direitos humanos, tais como o genocídio, o extermínio ou a segregação racial e religiosa entre outras, praticadas por partes em conflito ou por membros de regimes absolutistas. Em que pese a sua finalidade, este tipo de instrumento requer especial atenção no que concerne à sua aplicação, visto que poderá desencadear reação violenta de uma ou mais partes; englobar, em um cenário difuso, força militar com assistência humanitária; e, devido à sua sensibilidade política, pelo risco de evoluir para uma Operação de Imposição da Paz (Peace-enforcement Operations). Aponte a alternativa a que se refere o texto acima. Intervenção Humanitária (Humanitarian Intervention) Emprego preventivo Proteção de operações humanitárias cessação de hostilidades UNPROFOR – United Nations Protection Force; .
1 - Todo comandante, de qualquer escalão, leva em consideração, para tomar suas decisões, fundamentalmente, alguns fatores, EXCETO: o LOCAL, que será sempre constante e influenciará todos os outros fatores de uma maneira ou de outra TEMPO DISPONÍVEL - a moldura – está ligado à própria missão e, normalmente, será imposto MEIOS - os braços - tudo aquilo utilizado para cumprir as tarefas impostas, sendo também bastante variáveis o INIMIGO - a incógnita - por mais que se busque informações não se pode conhecer sua vontade portanto, não há como saber suas intenções e mesmo que se as suponha não seria confiável raciocinar em cima delas MISSÃO - fator básico – é o que dirige, ilumina e direciona as ações e seu planejamento.
2 - O estudo do terreno é: uma análise dos acidentes naturais e artificiais da área de operações, envolvendo também as consequências dos efeitos das condições climáticas e meteorológicas sobre estes acidentes, com vistas a determinar sua influência nas operações militares dos contendores. um estudo dos acidentes naturais e artificiais da área de operações, envolvendo também as consequências dos efeitos das condições climáticas e meteorológicas sobre estes acidentes, com vistas a determinar sua influência nas operações militares dos contendores. um estudo dos acidentes naturais e artificiais da área de operações, envolvendo também as consequências dos efeitos das condições climáticas e meteorológicas sobre estes acidentes, com vistas a determinar sua influência nas ações militares dos contendores. um estudo dos acidentes naturais e artificiais da área de operações, envolvendo também as consequências dos efeitos das condições climáticas e meteorológicas sobre estes acidentes, com vistas a determinar sua influência nas operações militares dos beligerantes. uma análise dos acidentes naturais e artificiais da área de operações, envolvendo também as consequências dos efeitos das condições meteorológicas e climáticas sobre estes acidentes, com vistas a mensurar sua influência nas operações militares e civís dos contendores.
3 - O terreno exerce influência sobre a tática e a logística. A tática de uma campanha deve levar em consideração as barreiras impostas por pântanos, rios e lagos maiores, montanhas e bosques. Já para as necessidades logísticas, dentro do estudo, dar-se-á ênfase às, exceto: redes de transportes. centros de comunicações centros urbanos e de comunicações vias fluviais redes de estradas.
4 – Quem é que formam o núcleo do sistema de observação, o qual, por sua vez, determinará a eficácia das armas de apoio, facilitará o controle das forças atacantes, a seleção dos objetivos e o estabelecimento de medidas de segurança: As elevações dominantes as encostas as cotas as elevações e encostas as montanhas.
5 – Assinale V OU F, e marque a alternativa correta I - O terreno acidentado, os bosques densos, as áreas urbanizadas, os grandes aclives dificultam o emprego ofensivo das unidades blindadas, porém fornecem coberta e abrigo às unidades de infantaria. II - A transitabilidade do solo, influenciado pelas condições do tempo, poderá ser determinante na escolha do tipo de formação para o ataque ou nas vias de acesso a serem mobiliadas. III - . A natureza do terreno é, ainda, fator importante que influenciará o comandante na tomada de sua decisão quanto ao tipo de defesa que empregará: se de área ou móvel, de acordo com o grau de influência que o terreno exercerá sobre a capacidade de manobra dos contendores. IV - Deste estudo sairão, ainda, valiosos indícios quanto às prováveis zonas de reunião (ZReu) inimigas, postos de observação (PO), posições das armas de apoio, vias de acesso para blindados, etc. V-V-V-V F-F-F-V F-V-V-F F-V-V-V V-F-F-V.
6 – Assinale V OU F, e marque a alternativa correta I - A profundidade do estudo será ditada pela missão e pelo escalão que planeja. II - Um comandante de grupo de combate (GC) verá o terreno da mesma maneira e assim alguns acidentes oferecerão ou não vantagens para o cumprimento de suas tarefas, ao passo que um comandante de batalhão (Btl) terá a visão de um comandante de um grupo de combate com outros olhos o mesmo terreno abordado. III - Além disso, quem defende utilizará o terreno de uma forma bastante diversa de quem ataca. O estudo do terreno será sempre realizado antes das estimativas de Estado-Maior e somente será precedido pela análise da missão, realizada pelo comandante. IV - Esse estudo concorrerá, ainda, para várias conclusões que serão passadas ao Estado-Maior, como orientações para o planejamento. Por fim, ao avaliar o terreno e suas influências, com base nos conceitos disseminados nesta publicação, deve-se ter em mente que o estudo é baseado em REGRAS e não em PRINCÍPIOS, os quais, quando inteligentemente aplicados, em cada situação, conduzirão a uma solução para o problema. V - O conhecimento e a aplicação desses princípios, por si só, não são suficientes, eles deverão ser perfeitamente entendidos em sua essência, de modo que quando existir a necessidade de violá-los, o planejador o fará de maneira inteligente, ponderada e, muitas vezes, até surpreendendo o inimigo Estão corretas: I-III-V II-III-IV III-V I-III-IV I-IV-V .
7 - Comandantes de subunidades e frações preocupam-se com matas densas, pequenos cursos de água e pequenas elevações; enquanto que comandantes de unidades e escalões superiores preocupam-se, principalmente, com redes de estradas, vales, linhas de crista, compartimentos, etc. Nesse contexto, assinale abaixo, quais fatores determinarão o enfoque sob o qual o estudo do terreno deverá ser conduzido. A natureza da missão e o escalão considerado A força material e humana O terreno A posição defensiva do inimigo e as suas armas As armas do inimigo.
8 - Tanto o atacante como o defensor tentará tirar o máximo proveito do terreno para que possam ter a mais profunda observação e, ao mesmo tempo, dificultar a do inimigo. ________ diz respeito à influência do terreno na capacidade de exercer vigilância sobre determinada área ou outra tropa. A observação A precisão A sensibilidade A liderança A capacidade.
9 – Assinale V OU F, e marque a alternativa correta I - Em geral, o ponto mais alto determina uma melhor observação, mas nem sempre isso ocorre, uma vez que o próprio relevo poderá estabelecer ângulos mortos e áreas desenfiadas. II - A escolha dos PO será precedida de um estudo baseado em procedimentos. Nos perfis topográficos verificados, em cartas ou no exame estereográfico de fotografias áreas, tais procedimentos serão fixados. III - A observação é essencial para a realização de fogo eficaz sobre o inimigo, para o controle da manobra das tropas amigas, bem como para negar surpresa ao inimigo. IV - Quanto à observação, o terreno mais vantajoso é aquele que permite tanto a observação em profundidade (das áreas ocupadas pelo inimigo) quanto a aproximada, que visa a perceber a presença de elementos hostis nas imediações da própria posição. Habitualmente, a observação profunda, ou afastada, é proporcionada por pontos próximos à crista topográfica e a observação aproximada em posições mais baixas em torno da crista militar. V - Estará na faixa da observação aproximada todo o terreno do ponto estação até a distância de 1800 a 2000m (alcance médio de uma metralhadora leve). A faixa do terreno de 2000 até 4000m está no âmbito da observação afastada (distância limite para condução de fogos pelo observador de artilharia). Marque a alternativa correta: somente a II é incorreta somente V é correta I-III-V são corretas Todas estão corretas II – III são incorretas.
10 - O campo de tiro é uma área em que uma arma ou um grupo de armas pode cobrir, eficazmente, com fogo desde uma determinada posição. Quando se considera o terreno no tocante aos campos de tiro, quem determinará quais os fatores exercerão maior ou menor influência? o tipo de arma o terreno a missão a velocidade a análise do terreno.
11 – Assinale V OU F, e marque a alternativa correta I - Variações serão notadas ao se analisar a execução do tiro para as armas de tiro com trajetória tensa, a condução dos fogos das armas de tiro com trajetória curva e o lançamento de mísseis. II - Embora a observação seja essencial, nem sempre o melhor PO será o melhor local para o posicionamento das armas. III - Cabe ressaltar que a análise da observação aproximada está intimamente ligada à execução dos fogos das armas de tiro tenso, a da observação afastada à condução dos fogos das armas de tiro de trajetória curva e a da observação direta, sem se vincular necessariamente a um PO, ao lançamento de mísseis. A opção correta è: I-II-III I - III III II I.
12 – Quem é o(a) principal fator que influi no abrigo? A topografia o lugar a localização o local o terreno.
13 - Como já mencionado, os obstáculos podem ser naturais ou artificiais, nesse contexto, a opção incorreta é: Os artificiais são aqueles que foram construídos com fins militares; são eles edificações e toda sorte de barreiras Os Obt devem estar intrinsicamente ligados ao Plano de Defesa e ao Plano de Apoio de Fogo, pois de nada valerá um Obt se o mesmo não for batido por fogos Os naturais são todos aqueles que já estavam presentes no terreno antes das operações militares se iniciarem, aí incluídos a vegetação,cortes de estradas, etc Os artificiais são aqueles que foram construídos com fins militares; são eles os campos minados, abatises Os naturais são todos aqueles que já estavam presentes no terreno antes das operações militares se iniciarem, aí incluídos os rios e lagos.
14 – Sobre os Acidentes Capitais, assinale a opção INCORRETA: Convém ressaltar que a todo AcdtCap marcado deverá corresponder uma ação da tropa que o marque, haja vista que se deve, ao menos, negar ao inimigo aquela desvantagem. Uma vez que vantagem marcante não é um termo preciso, é necessário ter muito critério na marcação. Nem toda elevação será um AcdtCap, nem só elas serão assinaladas como AcdtCap. A marcação dos AcdtCap variará de acordo com o escalão que realiza o estudo Contudo, se algo no terreno ofereça vantagem somente ao inimigo, mesmo assim será assinalado como acidente capital Acidente capital (AcdtCap) é qualquer acidente no terreno cuja posse, conquista, manutenção ou controle, assegure uma vantagem marcante a qualquer um dos contendores.
15 – Sobre Vias de Acesso, assinale a alternativa INCORRETA: As VA são assinaladas e analisadas, em relação às peças de manobra do escalão considerado. Um batalhão de infantaria selecionará e analisará as VA de valor Batalhão, este, por sua vez, selecionará e analisará as de Companhia não constituem VA sob o ponto de vista militar, podendo, ou não, tão-somente valorizar as VA Via de acesso (VA) é uma faixa no terreno, variável com o escalão considerado, que permite ou favorece o movimento de determinada tropa em direção a um AcdtCap As VA serão selecionadas levando-se em consideração principalmente a natureza da tropa que irá empregá-la e o efetivo que mobiliará aquela faixa do terreno Da definição pode-se inferir que estradas, trilhas, caminhos etc.
16 – São elementos que podem exercer acentuada influência quanto à observação, aos campos de tiro ou mesmo constituírem obstáculos à progressão. Assim, as encostas que têm sua crista militar numa posição dominante favorecem a observação; as encostas de declive suave e uniforme apresentam boas condições à rasância das armas de tiro de trajetória tensa; e, finalmente, as encostas íngremes podem constituir obstáculos aos elementos mecanizados ou mesmo à progressão de tropas a pé. Tipos de vertentes ou encostas - são três os tipos as planas, as côncavas e as convexas as íngremes, as côncavas e as convexas as planas, as retas e as convexas as retas, as côncavas e as obtusas os declives, as côncavas e as montanhas.
17 – Analise as questões a seguir e assinale a alternativa correta: I- A encosta plana ou uniforme é aquela que apresenta uma declividade constante. É representada na carta por curvas de nível igualmente espaçadas. II - As encostas suaves têm curvas de nível bem espaçadas entre si, as íngremes, ao contrário, são próximas III - A encosta convexa é abaulada. A declividade aumentará à medida que o terreno na elevação perde altura. As curvas de nível são bem espaçadas na crista e próximas no sopé. IV - A encosta côncava tem sua curvatura voltada para cima. Ou seja a declividade diminui à medida que se aproxima da base. Neste caso, as curvas de nível são mais próximas na crista e mais afastadas no sopé I-II-III-IV I-III-IV II-III III-IV I-II-IV.
18 – Analise as questões a seguir e assinale a alternativa correta: I - As encostas sempre se ligam duas a duas. Se esta ligação é um ângulo convexo, a encosta desse ângulo será dominante e divisora de águas, formando uma linha de crista, de festo, linha de cumeada ou divisora de águas; se a ligação é côncava ou dominada pelas encostas será formada a linha de fundo, linha de reunião de águas ou talvegue. II - No caso da linha de crista, há dois conceitos importantes a esclarecer. O segmento mais alto da linha de crista será chamado de crista topográfica, já a crista militar será o ponto da linha de crista que proporciona comandamento sobre todo o terreno à frente da elevação, sem a presença de ângulos mortos. Poderá coincidir com a crista topográfica ou não. Nas encostas planas ou côncavas isto poderá acontecer, já na convexa dificilmente. A opção correta é I – II estão corretas II estão incorreta I está incorreta somenta a II está correta somente a I está correta.
19 – Analise as questões a seguir e assinale a alternativa correta: I - As linhas de crista constituem as regiões dominantes do terreno, ao longo das quais se pode ter observação contínua e superficial. II - Quando paralelas à direção de movimento tornam-se acessos favoráveis à progressão da tropa, constituindo a linha seca e definindo uma compartimentação longitudinal no terreno. III - Quando dispostas em sentido transversal à progressão de uma tropa, limitam a observação, mas servem, por outro lado, como massa cobridora, sendo favoráveis à defesa. IV - Nesse segundo caso, as linhas de crista definem uma compartimentação horizontal no terreno A opção correta é: II-III estão corretas somente a I é correta I e IV estão corretas III-IV estão incorretas I-III estão corretas.
20 – são ravinas ou linhas d’água, formadas pela linha inferior da vertente (encosta). São elementos naturalmente desenfiados, razão pela qual podem ser aproveitados militarmente em função da proteção que oferecem: As linhas de fundo Linhas de crista as encostas Linhas de festo Ravinas.
21 – A ligação de duas vertentes em ângulo convexo pode dar origem a três formas básicas do terreno. o espigão, a garupa e o esporão Linhas de crista; as encostas; e Linhas de festo os declives, as côncavas e as montanhas o espigão, a garupa e o declive o declive, a garupa e o esporão.
22 – O espigão é: a forma do terreno em que as vertentes são íngremes e uniformes. O ângulo por elas formado é agudo, levando a uma representação das curvas de nível cuneiforme, pontuda Tipo de elevação em que as vertentes são arredondadas e uniformes um sulco ou mordedura na encosta da elevação a forma do terreno em que as encostas são convexas. O ângulo entre elas é obtuso, dando origem a uma linha de crista abaulada, sendo as curvas de nível representadas com formato arredondado a forma do terreno caracterizada por uma linha de crista com uma inflexão, ou seja, apresentando uma elevação de menor porte mais próxima ao sopé.
23 - A garupa é: a forma do terreno em que as encostas são convexas. O ângulo entre elas é obtuso, dando origem a uma linha de crista abaulada, sendo as curvas de nível representadas com formato arredondado um sulco ou mordedura na encosta da elevação Tipo de elevação em que as vertentes são arredondadas e uniformes a forma do terreno caracterizada por uma linha de crista com uma inflexão, ou seja, apresentando uma elevação de menor porte mais próxima ao sopé a forma do terreno em que as vertentes são íngremes e uniformes. O ângulo por elas formado é agudo, levando a uma representação das curvas de nível cuneiforme, pontuda.
24 O esporão é: a forma do terreno caracterizada por uma linha de crista com uma inflexão, ou seja, apresentando uma elevação de menor porte mais próxima ao sopé a forma do terreno em que as encostas são convexas. O ângulo entre elas é obtuso, dando origem a uma linha de crista abaulada, sendo as curvas de nível representadas com formato arredondado um sulco ou mordedura na encosta da elevação Tipo de elevação em que as vertentes são arredondadas e uniformes a forma do terreno em que as vertentes são íngremes e uniformes. O ângulo por elas formado é agudo, levando a uma representação das curvas de nível cuneiforme, pontuda.
25 – Tipo de elevação em que as vertentes são arredondadas e uniformes. Pela sua forma, suas encostas permitem, normalmente, ampla observação em qualquer direção Mamelão Espiga Colina Esporão Mameluco.
26 – alonga-se segundo uma direção definida. A _____ tanto se presta à instalação de armas e órgãos de defesa, como pode valorizar uma via de acesso, se utilizada em função do sentido de sua maior dimensão, quando esta se confunde com a direção de ataque, embora, algumas vezes, possa ser elemento dissociador desse ataque. Quando sua maior dimensão é perpendicular à direção do ataque, favorece ao defensor, à instalação de armas e órgãos de defesa. Assim, ______ difere do mamelão por ter formato alongado segundo uma direção. Sua linha de crista, normalmente, tende a abaular-se, formando uma espécie de cela. Colina Esporão Mamelão Espiga Mameluco.
27 – As elevações isoladas podem se apresentar, na sua parte superior, em forma de pico, zimbório ou platô. Esporão; vertente; e Mamelão Mameluco; Colina; e platô Esporão; Colina; e platô Esporão; Colina; e Mamelão.
28 - Quanto ao porte, as formas isoladas podem ser assim classificadas, EXCETO: Maciço Dobras Morro Montes Outeiro.
29 - são elevações alongadas, cuja altura não atinge a cota da menor curva de nível da carta considerada, capaz de furtar tropa da observação terrestre inimiga. Dobras Outeiro Montes Morro Maciço.
30 - são ainda de menor porte que as colinas, se assemelhando, entretanto, a elas. Sua principal característica, porém, é a de se apresentar isolado nas planícies e planaltos. Outeiro Montes Morro Dobras Maciço.
31 - elevações consideráveis, geralmente abruptas, destacando-se do solo circunvizinho. Graficamente são representados por curvas de nível que se fecham e mantém uma curvatura mais ou menos uniforme Montes Morro Outeiro Dobras Maciço.
32 - o mais comum, de porte mais modesto, quase sempre com a parte superior arredondada, em forma de zimbório. Morro Dobras Maciço Montes Outeiro.
33 - Quanto ao porte, as formas agrupadas podem ser assim classificadas: Montanha, Cordilheira, Cadeia de montanhas, Serra, Maciço e Planalto Montanha, Planícies , Cadeia de montanhas, Serra, Maciço e Planalto Montes, Cordilheira, Cadeia de montanhas, Serrado, Maciço e Planalto Montanha, Cordilheira, Cadeias, Serra, Maciço, Planalto e Planícies Montanha, Cordilheira, Cadeia de montanhas, Serra, Maciço e Planície.
34 – É uma série de montanhas que se sucedem numa grande extensão, sempre na mesma direção, dando origem a grandes linhas de cumeada e donde, em geral, se destacam, no sentido mais ou menos paralelo ao da direção principal, montanhas alongadas denominadas contrafortes, das quais, por sua vez, se destacam, em grande número, contrafortes secundários ou espigões. Cordilheira Maciço Serra Cadeia de montanhas Montanha.
35 – Termo genérico que exprime um aglomerado de elevações de forma e natureza diferentes, numa extensão mais ou menos considerável, em que o comprimento excede a largura. A curvas de nível que as representam, embora também fechadas, têm altura muito variável e ocupam no desenho mais espaço que as representativas dos montes. Montanha Cordilheira Cadeia de montanhas Serra Maciço.
36 – São montanhas contíguas, de forma mais ou menos alongada, que ocupam grande superfície. Cadeia de montanhas Serra Maciço Cordilheira Montanha.
37 – Montanha de forma muito alongada, em cuja parte elevada aparecem pontos salientes, culminantes, em forma de dentes de serra, denominados vértices, cumes ou cimos, em forma de picos ou agulhas. Serra Maciço Cadeia de montanhas Cordilheira Montanha.
38) Superfície mais ou menos extensa e regular, situada a grande altura em relação do nível do mar, em geral ondulada, com declividades suaves e algumas vezes acidentada, porém acessíveis. Quando o planalto é de grande extensão, é chamado de chapada. As montanhas paralelas à direção de progressão de uma tropa podem limitar ou impedir os movimentos laterais, porém protegem os flancos. As perpendiculares à essa direção, são obstáculos para o atacante e favorecem ao defensor. Quando as operações se desenvolvem em terreno montanhoso, muitas vezes tomam caráter especial, exigindo tropas e equipamentos especializados. Planalto Maciço Cadeia de montanhas Cordilheira Montanha.
39 - É um agrupamento de elevações que se ramificam de diversas maneiras, em qualquer sentido, apresentando o aspecto de um círculo de elevações em torno de um ponto culminante central. Maciço Cadeia de montanhas Planalto Cordilheira Montanha.
40 – Depressões: As depressões são as formas opostas às elevações e para onde vão ter as águas que se escoam das vertentes que as cercam e formam. Algumas depressões, embora raramente se apresentem isoladas e sem escoamento para as águas, têm forma de cume invertido e recebem a denominação de cuba, servindo em geral como fundo dos lagos. I - nome genérico de depressão que serve de leito para escoamento das águas, com a forma de sulcos alongados e sinuosos, de profundidade e largura variáveis. II - é uma passagem mais ou menos longa, entre duas elevações, cujas vertentes se prestam a uma organização do terreno capaz de barrar a progressão inimiga, por ser uma passagem natural de tropas, ou ainda suscetível de ter essa passagem impedida por uma posição defensiva localizada em um movimento do terreno que a enfie. As elevações que o formam são de difícil acesso. III - é caracterizado por uma passagem entre elevações de extensão apreciável, podendo as elevações que o forma serem ou não acessíveis à tropa. Se prestam excelentemente para defesa dada a canalização do movimento para o seu interior. ( ) Vales ( ) Corredor ( ) Desfiladeiro A ordem correta é: I-III-II II-I-III I-II-III III-III-II I-III-III.
41 - Forma intermediária entre as elevações e depressões, são resultantes muitas vezes do aterramento das depressões com detritos provenientes da erosão. São vastas extensões de terreno sensivelmente planas, situadas nas regiões mais baixas da superfície terrestre: Planície Baixada Várzea Pampas Planalto.
42 – Planícies são Forma intermediária entre as elevações e depressões, são resultantes muitas vezes do aterramento das depressões com detritos provenientes da erosão. São vastas extensões de terreno sensivelmente planas, situadas nas regiões mais baixas da superfície terrestre. Conforme o aspecto que apresentam e a situação em que se encontram, recebem as seguintes denominações: Charneca; Descampados, Várzea, Baixada, Pampas e Brejo ou Charco Charneca; Planície, Planalto, Baixada, Pampas e Brejo ou Charco Charco; Planície, Planalto, Baixada, Pampas e Brejo Brejo; Planície, Várzea, Baixada, Pampas e Planalto Charco; Planície, Várzea, Baixada, Pampas e Brejo.
43 - são vastas planícies, quase sem relevo, monótonas, cobertas por leivas, revestidas de prados, baixas e desabrigadas dos ventos. Pampas Baixada Charneca Planície Brejo ou Charco.
44 – quando situada entre as cubas de grandes elevações e o mar. Baixada Charneca Planície Pampas Brejo ou Charco.
45 - quando baixas, sujeitas às invasões das águas pluviais Brejo ou Charco Pampas Baixada Charneca Planície.
46 - quando muito extensas: descampadas Pampas Baixada Charneca Planície.
47 - quando além disso falta água e vegetação: Charneca Planície Baixada Pampas descampadas.
48 - quando cultivadas ou a isso se prestarem Várzea Baixada Charneca Planície descampadas.
49 - Classificação do Terreno quanto ao relevo Plano? Plano, Ondulado, Movimentado, Montuoso, Montanhas Plano, Ondulado, estático, Montuoso, Montanhas Plano, Ondulado, Movimentado, montanhoso, Montanhas Plano, Ondulado, Movimentado, refregado, Montanhas Plano, acidentado, Movimentado, Montuoso, Montanhas.
50 – quando apresenta elevações e depressões, próximas umas das outras, e de altura entre 20 e 50 metros; Acidentado - quando as elevações variam entre 50 e 100 metros Movimentado Montuoso Montanhas Ondulado Plano.
51 - Quando as elevações são superiores a 1000 metros. Montanhas Montuoso Movimentado Ondulado Plano.
52 - quando apresenta elevações entre 100 e 1000 metros Montuoso Movimentado Montanhas Ondulado Plano.
53 - quando apresenta dobras não superiores a 20 metros; Ondulado Montanhas Montuoso Movimentado Plano.
54 - quando a diferença de nível é quase nula Plano Ondulado Montanhas Montuoso Movimentado.
55 - Quanto ao aspecto tático I) Quanto às vistas II) Quanto ao movimento de tropa III) Quanto aos fogos inimigos. IV) Quanto à vegetação. V ) Quanto à praticabilidade das operações militares. ( ) Livre - quando no terreno não há obstáculo ao movimento de tropa ( ) Coberto - quando a observação terrestre é limitada por obstáculos (matas, bosques, construções ( ) Enfiado - quando está sujeito aos fogos inimigos. Diz-se, também, batido. ( ) Descoberto - quando oferece vastos horizontes. ( ) Limpo - a vegetação existente não prejudica o movimento, a observação ou a ligação visual entre as tropas amigas; ( ) Sujo - quando na situação inversa. ( ) Cortado - quando apresenta obstáculos ao movimento, tais como valas, fossos, muros, cercas, cursos d’água. ( ) Desenfiado - quando não pode ser batido pelos fogos diretos do inimigo; ( ) Praticável - quando o terreno, na sua conformação geral, se presta ao desenvolvimento de uma operação militar; ( ) Impraticável - quando não se presta à operação militar em vista. II-I-III-I-IV-IV-II-III-V-V I-II-III-IV-I-II-III-IV-V-V III-I-IV-I-III-IV-II-II-V-V IV-III-IV-III-I-II-I-II-V-V I-I-II-II-III-III-IV-IV-V-V.
56 - Estas leis se referem às linhas de talvegue, às vertentes, às linhas de festos, os três principais elementos que modelam o terreno. São regras que nada têm de absoluto, todas comportam exceções. Variam como variam as superfícies do terreno a que se referem, dizem apenas a forma ideal para qual tendem os terrenos normalmente constituídos e sujeitos à erosão regular das águas. O estudo dessas regras conduzirá a conclusões muito interessantes sobre os aspectos do terreno. Leis do Modelado Leis da praticabilidade das missões Leis de escolha de áreas Leis da escolha do terreno Leis do terreno.
57 – Sobre Regras dos talvegues e cursos d’água, assinale a correta: I) De um ponto qualquer do terreno pode-se chegar ao mar sem nunca subir. É a lei da continuidade dos declives. II) A declividade de uma linha de talvegue ou de um curso d’água decresce de montante para jusante. III) Desenvolvendo-se num mesmo plano o perfil de um curso d’água e de seus afluentes, a curva perfil desse curso d’água envolverá todas as de seus afluentes, como conseqüência um rio corre mais em um certo nível que seus afluentes. Assim, uma mesma curva de nível, na vizinhança e a montante de uma confluência, cortará o curso d’água principal mais longe dessa confluência que o curso d’água secundário (afluente), ou seja, a mesma curva de nível penetrará mais no vale principal que na ravina lateral que nele desembocar. IV) A declividade nas curvas exteriores de um rio é maior que nas interiores. De fato, em uma curva de rio a massa d’água agindo sob a influência da força centrífuga corrói a margem exterior, alargando o leito desse rio e, não raras vezes, rasgando-lhe novo leito. Na margem interior, a velocidade do rio sendo muito menor, ocasiona a sedimentação de aluviões e o conseqüente abrandamento do declive nessa margem. Assim, as curvas de nível que envolvem uma sinuosidade são habitualmente mais próximas umas das outras que as envolvidas pelo curso d’água. Logo a margem situada na parte exterior tem comandamento sobre a interna. Dessa regra surgem dois corolários: - quando um curso d’água se divide em muitos outros sinuosos, formando ilhas irregulares, pode-se concluir que o vale é largo e o talvegue pouco acidentado ou sensivelmente horizontal. caso o curso d’água seja um braço único quase retilíneo, o vale é estreito e o talvegue muito pronunciado e de grande inclinação. V) O ângulo formado por dois talvegues na sua confluência será sempre menor que 90º. Essa regra permite indicar a direção da corrente de um rio. VI) Uma confluência é assinalada geralmente por uma inflexão do curso d’água principal no sentido do afluente. Esta inflexão será tão mais pronunciada quanto mais importante for o afluente. Ou seja, o afluente muda a calha principal na sua direção. Está correta a opção I-II-III-IV-V-VI I-II-V-VI I-II-III-V-VI II-III-IV-V-VI I-III-IV-V-VI.
58 – Sobre Regras referentes às linhas de festo: I) Uma linha de festo se ligará sempre a uma outra e esta a outra e assim sucessivamente. II) Quando uma linha de festo separa dois cursos d’água ela aumenta quando eles se aproximam (confluência) e se abaixa quando se afastam. A distância máxima corresponde geralmente a um mamelão ou esporão e a mínima a um colo. III) Se uma linha de festo separa dois cursos d’água que correm em altitudes diferentes, ela estará mais próxima do mais elevado. IV) Se existirem duas nascentes opostas a uma mesma linha de festo, sobre a linha entre as nascentes ocorrerá um colo. V) Sempre ocorrerá uma ramificação separando dois talvegues que nascem do mesmo lado de uma mesma linha de festo. Está correta a opção I-II-III-IV-V I-II-III-IV I-II-IV-V I-III-IV-V I-II-III-V.
59 - Compartimentação do terreno - Um compartimento é uma área enquadrada por acidentes do terreno que limitam a observação terrestre ou os tiros das armas de trajetória tensa para o seu interior. Ao se analisar um compartimento deve-se atentar para o seu interior, para os acidentes naturais ou artificiais que o delimitam e para as linhas limites. Estas são linhas imaginárias traçadas ao longo dos acidentes já mencionados e a partir das quais a observação terrestre para o interior do compartimento fica comprometida. Os compartimentos são classificados de acordo com: os acidentes que os constituem; - suas formas; e - a direção de deslocamento da tropa os acidentes artificiais que os constituem; - suas faces; e - a direção de deslocamento da tropa os acidentes naturais que os constituem; - suas encostas; e - a localização os acidentes artificiais e naturais que os constituem; - suas formas; e - a direção de deslocamento da tropa os acidentes capitais que os constituem; - suas dobras; e - a compartimentação.
60 - _______ visa, principalmente, determinar as possibilidades de trânsito através campo, sob condições meteorológicas atuais ou previstas, e assume importância especial para as unidades de blindados. O estudo da natureza do solo para fins militares O estudo da Compartimentação O estudo do Terreno A análise do terreno O estudo da compartimentação do Terreno.
61 – À quem cabe a responsabilidade de organizar e distribuir cartas sobre as condições de resistência do solo. Ao realizar esse estudo devem ser ressaltadas, na zona de ação, as áreas do terreno cujo solo se apresenta firme e os trechos de pouca consistência. À Engenharia À analise do terreno Ao C2 À Logistica À Inteligência.
62 – A localização, tipo, dimensões, densidade e diâmetro dos troncos constituem elementos que, analisados, determinam seu valor militar. Tais como A) Macegas B) Matas C) Florestas D) Bosques E) Culturas F) Vegetação Ciliar ( ) São formadas por árvores copadas de médio ou pequeno porte. Considera-se mata rala desde que seja fácil o trânsito de tropa a pé em qualquer direção. ( ) São formados por árvores copadas, altas e regularmente dispostas. As florestas, as matas e os bosques podem impor características especiais à operação a ser realizada. ( ) É aquela que normalmente borda as margens dos cursos d’água e possui uma tonalidade mais escura. ( ) O terreno cultivado (café, cana, arroz, etc.) pode permitir movimento com cobertura, mas embaraça a progressão ( ) São caracterizadas pelo arvoredo copado e denso, de grande porte e formado por árvores normalmente seculares. ( ) São formadas por arbustos e gramíneas, podendo existir árvores pequenas e esparsas. É considerada alta quando encobre o movimento de um cavaleiro e densa quando torna penosa a sua travessia. Ela é rala e baixa carece de importância militar, quer sob o ponto de vista do desenfiamento, quer da transitabilidade. A ordem correta é: B-D-F-E-C-A B-F-D-E-C-A D-B-F-E-C-A B-D-F-C-E-A B-D-F-E-A-C.
63 - Sobre Regras referentes às linhas de festo: VI) Quando uma linha de festo muda de direção, opostamente ao ângulo formado ocorrerá uma ramificação. VII) Quando dois cursos d’água descem perpendicular de uma encosta e tomam depois direções opostas, a linha que separa os cotovelos indica a depressão mais profunda entre as duas vertentes e, portanto, a existência de um colo. VIII) Quando dois cursos d’água se encontram, a linha de crista do saliente que os separa está sensivelmente na direção do prolongamento do curso d’água que resulta da junção dos dois. IX) Quando diversos cursos d’água partindo de um ponto central seguem direções diversas, há na origem um ponto culminante. VI-VIII-IX VI-IX VI-VII-IX VI-VII-VIII VII-VIII-IX.
64) O que é uma superfície inclinada do terreno que forma um ângulo com o plano horizontal. Este grau de inclinação será chamado de declive ou declividade. Vertente ou encosta Convexo Festo Montanha Talveque.
1- As características peculiares dos conflitos atuais vêm impondo a adoção de uma ampla gama de instrumentos para promover a paz e a segurança internacional que, colocados à disposição da comunidade internacional, permitam evitar o surgimento desses conflitos, solucioná-los de modo duradouro e/ou atenuar suas conseqüências. A ONU considera o emprego de alguns instrumentos distintos, porém interrelacionados, EXCETO: Diplomacia da Paz (Preventive Diplomacy) Promoção da Paz (Peacemaking) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Imposição da Paz (Peace-enforcement) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building).
2- Em relação aos instrumentos principais de utilização da ONU em operações de paz, assinale a opção que compreende o conjunto de medidas destinadas a evitar o surgimento ou acirramento de controvérsias entre duas ou mais partes. Diplomacia da Preventiva (Preventive Diplomacy) Promoção da Paz (Peacemaking) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Imposição da Paz (Peace-enforcement) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building).
3- O processo destinado à obtenção de acordos que extingam a confrontação e possibilitem a solução das motivações que originaram o conflito e, normalmente, é desencadeado por intermédio da diplomacia, de mediações, negociações e de outras formas de acordos políticos, representa qual dos instrumentos principais de utilização da ONU em operações de paz? Promoção da Paz (Peacemaking) Diplomacia da Paz (Preventive Diplomacy) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Imposição da Paz (Peace-enforcement) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building).
4- O instrumento que constitui o emprego de pessoal militar, policial e civil para auxiliar na implementação de acordos de cessação de hostilidades celebrados entre as partes em litígio, além de ser fundamentada nos princípios básicos do consentimento dessas partes, da imparcialidade e do uso mínimo da força, faz menção a que instrumento principal de utilização da ONU em operações de paz? Manutenção da Paz (Peacekeeping) Promoção da Paz (Peacemaking) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy) Imposição da Paz (Peace-enforcement) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building).
5- Assinale a alternativa que representa o instrumento principal de utilização da ONU em operações de paz que tem caráter coercitivo e engloba as medidas desencadeadas por intermédio do emprego de forças militares que se destinam a restaurar a paz ou estabelecer condições específicas em uma área de conflito ou tensão, onde as partes estejam envolvidas em confrontação bélica e, pelo menos, uma delas não esteja de acordo com a intervenção. Imposição da Paz (Peace-enforcement) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building) Promoção da Paz (Peacemaking) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy).
6- Marque a alternativa que consiste em ações posteriores a um conflito interno ou entre Estados e destina-se a consolidar a paz e evitar o surgimento de novas controvérsias utilizandose, como instrumentos, projetos de desenvolvimento político, social e econômico, bem como o estímulo de medidas de confiança e interação entre as partes até então em conflito, além de ações voltadas basicamente para o desenvolvimento econômico e social do país anfitrião que são empreendidas, preferencialmente, por outros órgãos das Nações Unidas, mas, dependendo das dificuldades no terreno, podem requerer a atuação militar. Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building) Imposição da Paz (Peace-enforcement) Promoção da Paz (Peacemaking) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy).
7- Dentre os instrumentos disponíveis para responder de modo efetivo aos diferentes conflitos, qual deles têm sido o mais empregado, em vista de suas características de versatilidade e capacidade de transformação em outro instrumento, excetuando-se uma possível evolução para a Imposição da Paz? Manutenção da Paz (Peacekeeping) Promoção da Paz (Peacemaking) Imposição da Paz (Peace-enforcement) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy).
8- Dentro do contexto dos instrumentos principais de utilização da ONU em operações de paz, são empregadas as Missões de ________________, cuja estrutura inclui, geralmente, pessoal civil e militar, dirigidos por um organismo internacional legitimado para isso, para supervisionar a retirada de forças de ocupação, controlar o cessar-fogo e zonas desmilitarizadas e estabelecer uma zona de contenção, dentre outras tarefas. Manutenção da Paz (Peacekeeping) Imposição da Paz (Peace-enforcement) Promoção da Paz (Peacemaking) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy).
9- São atividades de caráter não-bélico que caracterizam-se pelo desenvolvimento imparcial de suas tarefas, limitando o uso da força aos casos de autodefesa. Operações de Manutenção da Paz (Peacekeeping Operations – PKO) Operações de Imposição da Paz (Peace-enforcement Operations - PEO Operações de Promoção da Paz (Peacemaking Operations - PMO) Operações de Consolidação da Paz (Post-conflict Peacebuilding Operations – PCPBO) Operações de Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy Operations - PDO).
10- Dentre os instrumentos principais de utilização da ONU em operações de paz, este, normalmente, ocorrerá quando todos os outros esforços falharem, posto que prevê o uso de força armada para manter ou restaurar a paz e a segurança internacionais em situações nas quais o Conselho de Segurança da ONU tenha identificado a existência de uma ameaça à paz, sua ruptura ou mesmo um ato de agressão claramente definido. Imposição da Paz (Peace-enforcement) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building) Promoção da Paz (Peacemaking) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy).
11- Apoiar governos de transição garantindo a manutenção de ambiente estável e seguro para realização de eleições, cessação de hostilidades, restabelecimento de governos ou territórios, apoiar o restabelecimento da lei, da ordem e da segurança pública; são atributos de que instrumento da ONU no que tange as operações de paz? Imposição da Paz (Peace-enforcement) Promoção da Paz (Peacemaking) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy).
12- É a aplicação de força militar ou a ameaça de seu emprego, normalmente, consoante com autorização internacional, para compelir que sejam aceitas resoluções ou sanções acordadas, porém conduzidas sem o consentimento e o apoio de todas as partes. Imposição da Paz (Peace-enforcement) Promoção da Paz (Peacemaking) Manutenção da Paz (Peacekeeping) Consolidação da Paz (Post-conflict Peace-building) Diplomacia Preventiva (Preventive Diplomacy).
13- As tarefas de uma ForPaz, em Imposição da Paz, consistirão, normalmente: em ações de combate em ações de apoio ao combate em ações de apoio de serviço ao combate em ações administrativas em ações de evacuação.
14- Um contingente que tenha conduzido operações prévias sob um mandato para a _________________ não deve, em princípio, ser empregado em ___________________ na mesma área de operação, uma vez que o pleno consentimento não vinha sendo observado e, por isso, a __________________ já terá sido comprometida. Assinale a alternativa que completa corretamente a afirmativa acima. Imposição da Paz / Manutenção da Paz / imparcialidade Promoção da Paz / Manutenção da Paz / imparcialidade Manutenção da Paz / Imposição da Paz / parcialidade Consolidação da Paz / Imposição da Paz / imparcialidade Diplomacia Preventiva / Manutenção da Paz / parcialidade.
15- Ainda que teoricamente possível, não é comum o emprego de uma ForPaz decorrente de uma PKO mal-sucedida em uma Operação de Imposição da Paz. Qual o principal motivo para este fato mencionado? seu poder de combate normalmente será insuficiente para tal sua versatilidade normalmente será insuficiente para tal seu apoio de fogo normalmente será insuficiente para tal seus meios navais normalmente serão insuficiente para tal sua mobilidade normalmente será insuficiente para tal.
16- Embora ambas sejam classificadas como OpPaz, as PKO e Operações de Imposição da Paz ostentam significativas diferenças entre si. Seus empregos têm lugar sob circunstâncias bem distintas e envolvem variáveis como: consentimento, força e imparcialidade mobilidade, força e imparcialidade consentimento, força e gradação flexibilidade, força e permanência consentimento, apoio de fogo e imparcialidade.
17- Nas PKO, as partes _____________, claramente, a presença e atuação de uma ForPaz. Nas Operações de Imposição da Paz, o consentimento ______________ e a força pode ser empregada para compelir ou impor a paz. Basta que o organismo internacional que legitima a operação - normalmente a ONU - possa impô-la a todas ou a algumas das partes. Assinale a alternativa que completa corretamente a afirmativa acima. consentem / não é absoluto não consentem / não é absoluto consentem / é absoluto não consentem / é absoluto combinam / não é combinado.
18- Os trechos: “A força pode ser usada somente como autodefesa ou para executar ações de caráter defensivo, conforme previsto no mandato.” e “a força é usada para compelir ou impor a paz.”, fazem referência a quais tipos de operações de paz, respectivamente? PKO e Operações de Consolidação da Paz Operações de Diplomacia Preventiva e PKO Operações de Promoção da Paz e Operações de Imposição da Paz Operações de Imposição da Paz e PKO PKO e Operações de Imposição da Paz.
19- Nas Operações de Imposição da Paz, a força é usada para compelir ou impor a paz. Ainda assim, o nível da força a ser usado deve ser sempre: o mínimo requerido para garantir o cumprimento do mandato. o máximo requerido para garantir o cumprimento do mandato. de maneira bem superior ao inimigo, para se garantir o cumprimento do mandato. de maneira bem inferior ao inimigo, mesmo que não se garanta o cumprimento do mandato. de modo equilibrado, mesmo que não se garanta o cumprimento do mandato.
20- Numa PKO, a imparcialidade deve ser objeto de permanente atenção, especialmente quando se realizam ações que possam criar uma impressão de favorecimento a algumas das partes. Na Manutenção da Paz, as variáveis CONSENTIMENTO, FORÇA e IMPARCIALIDADE apresentam uma graduação aceitável, respectivamente: Alto, Baixo, Alto Baixo, Baixo, Alto Moderado, Alto, Baixo Moderado/Alto, Baixo, Alto Baixo, Moderado/Alto, Baixo.
21 -(Curso ADSUMUS)Com relação as Operações de Manutenção da Paz, assinale a opção INCORRETA. Em essência, são realizadas sem o consentimento prévio das partes oponentes para evitar a escalada de um conflito. Quando, em circunstâncias especiais, a tarefa de manter ou restaurar a paz exceder às atribuições de ForPaz nesse tipo de missão, o Conselho de Segurança da ONU considerará a possibilidade de alterar e redefinir essas atribuições, de ordenar uma retirada ou de empregar nova ForPaz. O pessoal militar empregado integrará o contingente militar. As atividades, de caráter não-bélico, caracterizam-se pelo desenvolvimento imparcial de suas tarefas, limitando o uso da força aos casos de autodefesa. Sua estrutura inclui, geralmente, pessoal civil e militar, dirigidos por um organismo internacional legitimado para isso, para supervisionar a retirada de forças de ocupação, controlar o cessar-fogo e zonas desmilitarizadas e estabelecer uma zona de contenção, dentre outras tarefas. São planejadas para monitorar uma trégua negociada e promover condições que apóiem os esforços diplomáticos para o estabelecimento de uma paz duradoura.
22-(Curso ADSUMUS) Nas Operações de Paz, a ONU considera o emprego de alguns instrumentos distintos, porém interrelacionados. Qual deles é fundamentado nos princípios básicos do consentimento das partes em litígio, da imparcialidade e do uso mínimo da força? Manutenção da paz. Imposição da paz. Consolidação da paz. Diplomacia preventiva. Promoção da paz.
Report abuse Terms of use
HOME
CREATE TEST
COMMENTS
STADISTICS
RECORDS
Author's Tests